Marcvs
Disse Deus: ‘Haja baile’, e houve baile.
Deus viu que o baile era bom, e separou o baile das trevas.

Gênesis 1:3,4, versão adaptada

"Deus é mais parecido com um pivete de cabelo descolorido do que você gostaria de acreditar". 2022. 
Acrílica sobre tela. 40 cm x 50 cm. 

Marcus Couto (aka Marcvs) é um artista visual e pintor brasileiro, nascido em 18 de junho de 1987 em Santo André, ABC paulista. Seu interesse pelo desenho e pela pintura começou ainda na infância, ávido consumidor de HQs e graphic novels. Na adolescência foi aluno do mestre italiano dos quadrinhos Eugenio Colonnese na Escola Studio de Artes. Sua formação é majoritariamente autodidata, apesar de ter frequentado cursos em instituições formais de ensino como a Faculdade Belas Artes de São Paulo, onde estudou desenho com o artista plástico Luís Castañón. Foi assistente de Castañón em seu ateliê em São Paulo, onde estudou sob sua tutela e também auxiliou no planejamento e montagem de exposições no espaço Paperbox Lab. Nesse período teve contato com uma série de artistas que o ajudaram a ampliar seu horizonte estético e poético.

"Procissão" (carvão, acrílica e bastão óleo sobre papel cartão, 74 cm x 44 cm, agosto de 2022).

Atualmente, trabalha em seu ateliê no bairro da Santa Cecília, região central de São Paulo, e sua pesquisa gira em torno da desconstrução da imagética religiosa tradicional, incorporando elementos da estética brasileira considerada periférica/marginal pela perspectiva hegemônica burguesa, colocando dançarinas de funk no lugar de santas, demônios em contextos sacros, entre outras experiências de ruptura desse lugar-comum dogmático religioso.

"Exorcismo Noturno, Demônio Azul" (acrílica e bastão óleo sobre papel cartão, 90 cm x 90 cm, setembro de 2022).

"Conversão" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, outubro de 2022)
"Conversão" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, outubro de 2022)
"Inflamatório" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, outubro de 2022)
"Inflamatório" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, outubro de 2022)

Em 2022, teve sua obra selecionada para publicação na primeira edição impressa da Revista Aboio. Foi comissionado pela mesma editora para pintar uma tela que serviria de capa para o segundo livro do poeta pernambucano Pedro Torreão, "Alalazo". 

"Catequese" (acrílica sobre tela, 60 cm x 80 cm, setembro de 2022)


Entre suas referências visuais formativas aparecem correntes como as do expressionismo, do neo expressionismo, quadrinhos, arte de rua, pixo, pop art, entre outras, mais as obras de uma vasta gama de artistas como Tunga, Willem de Kooning, Jackson Pollock, Jean-Michel Basquiat, Paul Cézanne, Paul Gauguin, William Blake e muitos outros. 
Numa perspectiva artística mais ampla, foi profundamente inspirado pelo cinema expressionista alemão e pela música experimental eletrônica.

"Iluminação de um Homem Comum" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, setembro de 2022)
"Iluminação de um Homem Comum" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, setembro de 2022)
"Através de um Portal; Sem Retorno" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, outubro de 2022)
"Através de um Portal; Sem Retorno" (acrílica, carvão e bastão óleo sobre tela, 30 cm x 40 cm, outubro de 2022)

"O Pecado Enquanto Silêncio" (acrílica sobre tela, 50 cm x 80 cm, agosto de 2022)

"Um Homem Que Ria Pouco" (acrílica sobre tela, 30 cm x 40 cm, agosto de 2022)
"Um Homem Que Ria Pouco" (acrílica sobre tela, 30 cm x 40 cm, agosto de 2022)
"Autorretrato no Escuro" (guache e pastel oleoso sobre papel, 15 cm x 20 cm, agosto de 2022)
"Autorretrato no Escuro" (guache e pastel oleoso sobre papel, 15 cm x 20 cm, agosto de 2022)
"Dissolução do Falso Eu, Personalidade Inviável" (guache e pastel oleoso sobre papel, 20 cm x 28 cm, agosto de 2022)
"Dissolução do Falso Eu, Personalidade Inviável" (guache e pastel oleoso sobre papel, 20 cm x 28 cm, agosto de 2022)
"Vênus Primitiva" (pastel oleoso sobre papel, 20 cm x 28 cm, agosto de 2022)
"Vênus Primitiva" (pastel oleoso sobre papel, 20 cm x 28 cm, agosto de 2022)

"Alalazo" (acrílica e bastão óleo sobre tela, 100 cm x 100 cm, outubro de 2022). Obra comissionada para capa do livro "Alalazo", do poeta pernambucano Pedro Torreão; editora Aboio.